APRESENTAÇÃO

 

O WORKSHOP DE APROVEITAMENTO DE ÁGUAS DA CHUVA E PRÁTICAS AGROECOLÓGICAS

Desde o surgimento da agricultura nas primeiras sociedades africanas, o homem pratica o cultivo de subsistência utilizando técnicas orgânicas para a produção de alimentos. Pode-se afirmar que ao trabalhar esse tipo de agricultura resgatam-se técnicas já amplamente utilizadas pelos egípcios e chineses. Porém a prática vem sendo cada vez mais difundida atualmente, como uma resposta ao modelo convencional chamado por muitos de agricultura moderna.

No entanto, cabe destacar que a superfície do nosso planeta é composta por 70% de água que pertence a um ciclo natural iniciado com a evaporação, formação de nuvens e por fim o retorno para a terra através das chuvas. Porém, de toda água existente no planeta, 97,5% estão nos oceanos e dos 2,5% restantes, 1,5% estão nos pólos (geleiras e icebergs), ficando apenas 1% disponível para nosso consumo. Atualmente usamos para nosso consumo as águas de nascentes, lagos, rios e extrações de leitos subterrâneos, os aqüíferos.

Baseado no forte interesse econômico tem acarretado o desequilíbrio ao meio ambiente tanto pelo meio aquático quanto o meio terreno, como o surgimento de pragas nas agriculturas. Para contê-las, a agricultura moderna pratica o uso indiscriminado de agrotóxicos e de adubos hidrossolúveis na busca do aumento da produção. Esses insumos químicos geram a contaminação das fontes de água, poluindo nascentes, lençóis freáticos causando à mortandade de diversos animais e fitoplânctons preponderantes nas bacias hidrográficas.

Impactos também são gerados a terra, pois a utilização de sistemas de cultivo intensivo e largamente mecanizado provoca a compactação e a erosão do solo e reduzindo a fertilidade natural. Consequentemente, a diminuição da capacidade de produção faz com que sejam abertas novas áreas (fronteira agrícola), contribuindo com o processo de desmatamento das florestas e conflito de terras.

A agroecologia retorna como um contraponto à agricultura convencional e uma oportunidade para os pequenos e médios produtores, dentro da perspectiva da agricultura familiar, que é responsável por 70% da produção de alimentos no Brasil. A Prática Agroecológica de ser encarada como uma filosofia que trará mudanças significativas de atitudes em busca da melhoria da qualidade de vida. Pois ao planejar o uso da terra de maneira integrada, preocupando-se constantemente com adição de agentes químicos, no cultivo e a preservação da água e da biodiversidade estaremos "sustenabilizando" o planeta terra e, consequentemente, melhorando a qualidade de vida da nossa população. 

O uso da água de maneira mais eficiente protege o meio ambiente, economiza energia, reduz os investimentos em infra-estrutura, ocasionando melhoria dos processos industriais. O uso eficiente da água representa uma efetiva economia para consumidores, empresas e a sociedade de um modo geral. Portanto, tanto através de técnicas simples e baixo custo a Prática Agroecológica e Aproveitamento de Águas da Chuva nas Edificações têm possibilitado a produção agropecuária de forma sustentável. Ao produzir alimentos de boa qualidade e utilizar águas das chuvas, o produtor garante a segurança alimentar de sua familiar. Com a ampliação do volume da produção o produtor promove a geração de renda e a qualidade de vida da população.

INFORMAÇÕES GERAIS

 
Objetivo

Promover o conhecimento do Aproveitamento das Águas das Chuvas e das Práticas Agroecológicas e proporcionar o entendimento sobre como estas práticas são necessárias para a maximização da qualidade de vida na atual conjuntura.

Palestrante

Alexandre Nascimento, Pós-Graduado em Gestão Ambiental – Instituto Brasileiro PNUMA/COPPE - UFRJ, Cursou Ciências Sociais na Pontifícia Universidade Católica – PUC-Rio, Empreendedor dos Combos Orgânicos, Ministra Cursos e Workshops sobre Plantas Litúrgicas, Agroecologia e Fossas Sépitcas, Representante oficial do Quilombo São José da Serra na I Feira MEBENGOKRÉ de Sementes Tradicionais – Aldeia Moxkarakô – Terra Indígena Kayapo - PA, Consultor de Acompanhamento e Monitoramento da Tecnologia Social PAIS / Converdgencia, Workshop, Implantação, Acompanhamento, Monitoramento e Avaliação do Sistema Pedagógico PAIS nos Quilombos São José da Serra e Alto da Serra do Mar, Idealizador e coordenador do Intercâmbio Cultural entre Brasil e Cabo Verde (Apresentação e Implantação do Sistema Pedagógico pautado na Produção Agroecológica Integrada e Sustentável – Achada Grande - Ilha de São Thiago - Cabo Verde)


Davi Becker, Pós-graduado em Gestão Ambiental  pós-graduado em Gestão Ambiental - Escola Politécnica da Universidade Federal do Rio de Janeiro, em parceria com o Instituto Brasil-PNUMA. Graduado em Engenharia Civil - Faculdade de Engenharia da Fundação Técnica Educacional Souza Marques - especialização em cálculo estrutural. Técnico em Estradas pelo CEFET, Engenheiro do corpo técnico da Defesa Civil da Cidade do RJ. Professor de Construções Sustentáveis no curso de pós-graduação em Engenharia Ambiental na Universidade Castelo Branco.

Programação

18h00min – Acolhida ao público

18h05min às 18h15min   – Abertura (Boas vindas) - Professor Bruno F. R. dos Santos –  Presidente do IBQ

18h15min às 18h55min - Início da palestra de Práticas Agroecológicas – Alexandre Nascimento 

18h55min às 19h35min - Início da palestra Aproveitamento de Águas da Chuvas – Davi Becker 

19h35min às 20h25min - Abertura para dúvidas e questionamentos do público 

20h25min às 20h30min - Encerramento do Workshop

Certificado
Aos alunos que participarem o workshop será fornecido um certificado de participação emitido pelo CREA-RJ e IBQI no prazo de 30 dias úteis. 

​Segurança da informação

Durante as aulas do curso não serão permitidas gravações ou filmagens de qualquer tipo.